CORPOS DO ARAGUAIA NO AMAPÁ


CORPOS DO ARAGUAIA NO AMAPÁ

Guerrilha - acampamento militar


Foto: Arquivo Nacional

O Ministério Público Federal requisitou informações ao Governo do Amapá sobre a busca por desaparecidos políticos durante a Guerrilha do Araguaia, ocorrida entre as décadas de 1960 e 1970. Segundo relatório final da Comissão Estadual da Verdade (CEV) do Amapá, corpos de guerrilheiros mortos pelas Forças Armadas podem ter sido enterrados na vila de Clevelândia do Norte, em Oiapoque, a 600 quilômetros de Macapá. A localização de vítimas desaparecidas durante a ditadura militar é uma das obrigações impostas ao Brasil em sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).

Segundo o relatório da CEV-Amapá, o governo do extinto Território Federal do Amapá teria colaborado com a ocultação de cadáveres na repressão. Depoimentos de familiares de vítimas e de militares, colhidos pela Comissão, indicam que existia em Oiapoque um cemitério clandestino onde podem estar enterradas vítimas de execuções durante o processo de dizimação da guerrilha. Outras providências no campo da preservação da memória e justiça de transição também foram requisitadas ao governo estadual pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do Amapá.

Procedimento Administrativo n.º 1.12.000.000520/2016-11

Veja cópia do ofício de requisição de informações