INJEÇÃO PARA CAVALO


INJEÇÃO PARA CAVALO

O militante político José Montenegro de Lima


Foto: PCdoB

O Ministério Público Federal denunciou o ex-chefe do DOI-CODI, do II Exército, em São Paulo, Audir Santos Maciel, pelo homicídio duplamente qualificado e ocultação do cadáver do militante político José Montenegro de Lima, do PCB, durante a ditadura militar brasileira. A vítima, conhecida como Magrão, foi assassinada em 29 de setembro de 1975 com uma injeção destinada ao sacrifício de cavalos, após ser torturado num centro clandestino da repressão, em Araçariguama. O corpo do militante foi atirado nas águas do Rio Novo, em Avaré, e nunca foi encontrado.

Denunciados/demandados: Audir Santos Maciel

Instituições envolvidas: Exército Brasileiro

Vítimas: José Montenegro de Lima

Crimes: Homicídio qualificado e ocultação de cadáver

Ação Penal nº 0015754-19.2015.4.03.6181

Veja a íntegra da denúncia

Principais ações




...
23/04/2012
SEGUNDA DENÚNCIA

...
10/07/2012
TERCEIRA DENÚNCIA

...
29/08/2012
PRIMEIROS RÉUS



...
13/05/2013
CASO MÁRIO ALVES



...
19/05/2014
CASO RUBENS PAIVA









...

...
03/02/2016
FREI TORTURADO

...
04/02/2016
LÍDER CAMPONÊS

...
29/03/2016
LEGISTA DENUNCIADO

...
07/06/2016
LAUDO FALSIFICADO





...
26/09/2016
CHACINA DA LAPA


...
24/04/2017
LIVRO-RELATÓRIO

...
06/10/2017
SEQUESTRO EM SP



...
11/02/2018
MÉDICO TORTURAVA