PERUS: MAIS PESQUISAS


A continuidade dos trabalhos de identificação das ossadas encontradas nas valas clandestinas do Cemitério de Perus, na zona norte de São Paulo, foi garantida até o final de 2018 por meio de um acordo promovido pelo Gabinete de Conciliação do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3), no âmbito da ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal em face da União Federal, do Estado e do Município de São Paulo; da Universidade Estadual de Campinas, Universidade Federal de Minas Gerais e da Universidade Estadual de São Paulo e outros, visando responsabilizá-los pelas ossadas de mortos e desaparecidos políticos encontrados na Vala Clandestina de Perus que permanecem sem identificação.

Participaram da audiência representantes da União Federal, do Município de São Paulo, do Ministério Público Federal (MPF), da UNIFESP e da Justiça Federal. O documento foi assinado em cerimônia pública assistida por familiares de mortos e desaparecidos políticos, e sobreviventes da repressão.

Veja íntegra do termo de conciliação assinado no TRF-3.

Ação civil pública nº 2009.61.00.025169-4