SEM IDENTIFICAÇÃO POR 47 ANOS


SEM IDENTIFICAÇÃO POR 47 ANOS

Dimas Antonio Casemiro iniciou sua militância política em Votuporanga (SP), na adolescência


Foto: Comissão Estadual da Verdade Rubens Paiva

O Ministério Público Federal em São Paulo denunciou o ex-suboficial do Exército Carlos Setembrino da Silveira pelo assassinato do dirigente do Movimento Revolucionário Tiradentes, Dimas Antônio Casemiro, em 17 de abril de 1971, em São Paulo. Também foi denunciado, por falsidade ideológica, o ex-médico legista Abeylard de Queiroz Orsini, que omitiu informações no laudo necroscópico da vítima.

Ambos os denunciados também são acusados por ocultação de cadáver. Segundo a denúncia do MPF, os dois contribuíram para o desaparecimento de Casemiro, enterrado como indigente no cemitério de Perus, na zona norte de São Paulo. Em 1975, os restos mortais da vítima foram exumados e enterrados numa vala clandestina, aberta em 1990, que ficou conhecida como a Vala de Perus. Os restos mortais que poderiam ser de Dimas foram indicados no mesmo ano. Contudo, um resultado conclusivo, de um exame de DNA realizado por especialistas na Bósnia, só foi possível em fevereiro de 2018, quase 47 anos após o assassinato.

Denunciados: Carlos Setembrino da Silveira e Abeylard de Queiroz Orsini

Instituições envolvidas: Exército brasileiro e IML

Vítimas: Dimas Antônio Casemiro

Crimes: Homicídio, falsidade ideológica e ocultação de cadáver

Ação penal nº 0008031-41.2018.4.03.6181

Veja a íntegra da denúncia



Principais ações




...
23/04/2012
SEGUNDA DENÚNCIA

...
10/07/2012
TERCEIRA DENÚNCIA

...
29/08/2012
PRIMEIROS RÉUS



...
13/05/2013
CASO MÁRIO ALVES



...
19/05/2014
CASO RUBENS PAIVA










...
03/02/2016
FREI TORTURADO

...
04/02/2016
LÍDER CAMPONÊS

...
29/03/2016
LEGISTA DENUNCIADO

...
07/06/2016
LAUDO FALSIFICADO





...
26/09/2016
CHACINA DA LAPA


...
24/04/2017
LIVRO-RELATÓRIO

...
06/10/2017
SEQUESTRO EM SP



...
11/02/2018
MÉDICO TORTURAVA





...