SUICIDADO NO ARAGUAIA


SUICIDADO NO ARAGUAIA

As irmãs Sônia Leia e Silvia Maria, filhas de Lourival Paulino


Foto: Comissão de Anistia / Ministério da Justiça

A Força Tarefa Araguaia, do Grupo de Trabalho Justiça de Transição, do Ministério Público Federal (MPF), denunciou à Justiça Federal de Araguaína (TO), o ex-oficial do Exército Manoel Fabiano Cardoso da Costa, que atuava como médico legista em Xambioá (TO). Ele é acusado de falsidade ideológica por ter adulterado o laudo cadavérico do barqueiro Lourival Moura Paulino, que foi a primeira vítima das campanhas militares para exterminar a Guerrilha do Araguaia, durante a ditadura militar.

O militar falsificou o laudo da morte da vítima, que foi torturada até a morte, para sustentar a versão falsa de que Lourival teria se enforcado na prisão. O crime ocorreu na madrugada de 22 de maio de 1972, na delegacia de polícia de Xambioá. Segundo a denúncia, o legista e dois policiais militares, já falecidos, simularam o suposto suicídio de Lourival, sustentando a versão de que ele teria se enforcado com a corda da rede em que dormia.

Denunciado: Manoel Fabiano Cardoso da Costa

Instituição envolvida: Exército Brasileiro

Vítima: Lourival Moura Paulino

Crime: Falsidade ideológica

Ação penal nº 0002631-17.2018.4.01.4301

Leia a íntegra da denúncia

Principais ações




...
23/04/2012
SEGUNDA DENÚNCIA

...
10/07/2012
TERCEIRA DENÚNCIA

...
29/08/2012
PRIMEIROS RÉUS



...
13/05/2013
CASO MÁRIO ALVES



...
19/05/2014
CASO RUBENS PAIVA










...
03/02/2016
FREI TORTURADO

...
04/02/2016
LÍDER CAMPONÊS

...
29/03/2016
LEGISTA DENUNCIADO

...
07/06/2016
LAUDO FALSIFICADO





...
26/09/2016
CHACINA DA LAPA


...
24/04/2017
LIVRO-RELATÓRIO

...
06/10/2017
SEQUESTRO EM SP



...
11/02/2018
MÉDICO TORTURAVA



...